segunda-feira, 21 de março de 2011

Textos para 5a. série / 6o. ano - 1o. bimestre

1. Leitura de paisagens
Profa. Celina – Geografia – 5a. série

Paisagem é um conceito central para a Geografia, mas também faz parte do senso comum.
A paisagem pode receber vários significados, mas na ciência geográfica é definida como um conjunto de estruturas naturais e sociais de um determinado lugar no qual desenvolvem uma intensa interatividade entre os elementos naturais, entre as relações humanas e desses com a natureza.
Geograficamente, a paisagem é tudo aquilo que podemos perceber por meio de nossos sentidos (audição, visão, olfato e tato), mas o que mais destaca é a visualização da paisagem.
Costuma-se considerar como paisagem somente os elementos naturais, tais como montanhas, rios, mares, florestas entre outros. Entretanto, paisagem também abrange as construções humanas como pontes, ruas, edifícios, além das relações humanas como feiras e jogos de futebol (há uma variação das paisagens, pois se trata de uma composição momentânea).
Diante desse contexto, a paisagem se divide em paisagens naturais (lagos, oceanos, vales, florestas, montanhas, seres vivos) e as interações existentes. A variação de cada elemento determina a configuração de cada paisagem. Por exemplo, o clima quente e úmido produz florestas com uma grande quantidade de vidas, tanto da fauna como da flora. Em contrapartida nas zonas polares, onde o frio é intenso, não há o desenvolvimento de elevado número de vidas e nem diversidade.
As paisagens culturais correspondem a todos os elementos construídos pela ação antrópica (ação do homem), como pontes, portos, ferrovias, túneis e muito outros. Apesar da divisão entre paisagem natural e cultural, não existe nenhum lugar no planeta que não tenha sofrido interferências diretas ou indiretas do homem, até porque o que é produzido de poluição nas cidades se dispersa por todo o planeta. As paisagens culturais podem ser divididas em paisagem rural e paisagem urbana. A primeira é formada pela atividade agropecuária, como lavouras de uma infinidade de culturas, hortaliças, frutas, além da criação de bovinos (corte e leite), aves e suínos. Esses elementos fazem parte da realidade de propriedades rurais como fazenda, chácaras e sítios. A segunda é constituída por elementos urbanos como ruas, avenidas, praças, viadutos, prédios que se encontram habitados por pessoas que realizam suas atividades nesse espaço.
A paisagem é uma “acumulação desigual de tempos históricos”. As técnicas e o trabalho humano constroem e reconstroem a paisagem. Os tempos da natureza são responsáveis pela criação das formas naturais, e o tempo histórico são as medidas das intervenções humanas na superfície do planeta.
Objetos naturais são aqueles produzidos pela natureza, sem a intervenção humana; os objetos sociais são aqueles produzidos pelo homem.

A humanização das paisagens
            O processo intensivo de transformação de uma paisagem particular acontece por meio da implantação de um conjunto de novos objetos sociais que a transformam radicalmente: é a humanização das paisagens.

As paisagens na história: os sistemas técnicos
            Vamos acompanhar o processo de transformação de uma paisagem ao longo da história: a da cidade alemã de Essen, na página 8 do caderno do aluno.
 A cidade em 1829, com cerca de 10 mil habitantes, era pouco mais que um povoado rural rodeado de campos cultivados e bosques. Os campos cultivados que rodeavam Essen prosseguiam no interior do núcleo urbano, pontilhado por hortas e pomares e pela criação doméstica de bois, vacas, ovelhas, porcos e aves. A torre da igreja era destaque absoluto na paisagem.
Em 1867, a população ultrapassava 50 mil habitantes, um crescimento espantoso em menos de 40 anos. Aqui, é importante atentar para as mudanças que a industrialização imprimiu na paisagem: as chaminés e o trem carregado de carvão, por exemplo.
Na 3ª. imagem, as chaminés da cidade industrial desapareceram na Essen contemporânea. Essen é a sexta maior cidade da Alemanha, com cerca de 650 mil habitantes. A mancha urbana expandiu-se horizontalmente. A torre da primeira igreja é o único testemunho destacado do passado distante, mas ela praticamente se perde entre os edifícios de uma aglomeração, cuja economia é movida principalmente pelo comércio e os serviços.
O sistema de objetos técnicos (objetos sociais), que constituem uma paisagem, se transforma ao longo do tempo, acompanhando as mudanças da sociedade. Exemplos de objetos sociais: os campos de cultivo e o arado, o trem carregado de carvões e as fábricas, as grandes avenidas e os arranha-céus.

2. Paisagem e memória (direto no caderno do aluno)

3. As paisagens captadas pelos satélites

A Terra esférica foi definitivamente incorporada à cartografia no início da Idade Moderna. Há 500 anos, os planisférios representam os 360 graus de longitude e os 180 graus de latitude da esfera. Mas há apenas algumas décadas, com as naves espaciais, a humanidade tornou-se capaz de produzir fotografias da totalidade do planeta. Essas imagens trouxeram uma nova e poderosa visão da Terra. As imagens de satélite nos apresentam diversos aspectos como, por exemplo, a extensão da intervenção humana sobre a superfície da Terra, que acontece de maneira desigual.
Os pontos amarelos, na imagem “Planisfério: imagem noturna de satélite” nas páginas 22 e 23 do caderno do aluno, destacam as grandes concentrações urbanas e mostram a difusão (multiplicação) desigual da intervenção humana na superfície do planeta, explicando porque algumas áreas são mais densas do que outras.
O satélite é um corpo que gira, descrevendo uma órbita em torno de outro, devido fundamentalmente à força de atração (gravidade) exercida por este último. O satélite pode ser natural ou artificial. O natural é um planeta, um corpo celeste, que orbita (circula) um planeta ou outro corpo menor. Um exemplo de satélite natural é a Lua, que orbita a Terra. O satélite artificial é um engenho feito pelo homem, que é colocado por meio de foguetes em uma órbita elíptica, e tem como um dos focos, o centro da Terra. Um satélite emite ou retransmite um sinal para a(s) estação (estações) terrestre(s) de destino, que pode ser sinais televisivos e telefônicos, dados ou imagens.
Os primeiros satélites colocados em órbita foram o Sputnik I (04/10/1957) e o Sputnik II (03/11/1957), lançados pelos soviéticos e o Explorer I (31/01/1958), lançado pelos norte-americanos.


4. As paisagens da Terra (uso do vídeo)

            A superfície da Terra desvenda uma multiplicidade de paisagens singulares. As paisagens naturais resultam de uma combinação particular de elementos, como o relevo, os solos e as formações vegetais. As paisagens também revelam a intervenção das sociedades sobre a superfície terrestre. Vamos recuperar o conceito de paisagem: produto do trabalho social, isto é, do esforço coletivo e organizado de gerações que, por meio das técnicas disponíveis, instalam artefatos que servem a finalidades úteis. Como o sistema técnico não é uniforme e não se difunde de forma homogênea pela superfície da Terra, as paisagens são bastante diversificadas.

3 comentários:

  1. Estou muito feliz com que li, explico o porque, tenho uma filha na 5ª série do ensino fundamental e esta com dificuldade em geografia, lendo o caderno do aluno que o governo distribui, fiquei sem saber o que e como explicar, pois achei superficial, pesquisei e com dificuldade não achava algo que me ajudasse , a matéria que procuro é sobre o primeiro bimestre que fala de paisagens, e quando li o que esta no seu blog resolvi tudo, adorei , deveríamos ter mais professores como a senhora, clara, objetiva e responsável, Agradeço !

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Professora, gostei muito do seu blog, a sua proposta é muito clara...!!!!

    ResponderExcluir